Depois que eu disse que te amava…

amava

Depois que eu disse que te amava aquele silêncio se instalou. E não adianta dizer nada quando não se quer ouvir. Eu aprendi que a melhor de todas as respostas é o silêncio, mesmo que ele cause um barulho ensurdecedor nos meus dias. Na verdade o silêncio agora é a minha única companhia nesses dias. Depois de eu dizer essas palavras que tanto significam para mim, mas que me pareceu sem sentido algum quando você as recebeu.

Nunca fui boa em me relacionar e é por isso que sempre me mantive longe, sempre observando, sem me envolver. Acho que por isso sou tão insegura quando a palavra relacionamento cruza a minha mente. Mas dizem que a vida gosta de pregar peças nas pessoas, e nessa, ela me pegou de jeito. Sempre acreditei no amor independente de status. O meu verdadeiro status atualizado é aquele que eu só quero ficar com você hoje, já que o amanhã pertence a Deus.

Dentro do silêncio tanta coisa pode acontecer. Ele carrega segredos. Como resposta, ele pode ter tantos significados. Não existe uma maneira de interpretar o silêncio. Ele é útil quando se quer encerrar determinado assunto. Quando utilizado, subtende-se que um ponto final será colocado naquela história, quando na verdade uma vírgula está surgindo e resta apenas aquela dúvida – e se?

A verdade é que o seu silêncio me faz mal, transformando minhas emoções em um caos sem fim, que ora te ama e ora te odeia. E mesmo sabendo que ódio e amor são sinônimos, tem horas que eu não sei mais o que eu realmente sinto por você. Não sei dizer se o seu silêncio é indiferença, falta de vontade ou desinteresse. Eu só queria saber, eu preciso saber. Uma resposta, nesse caso, vale mais do que qualquer silêncio.

Já o meu silêncio é pra tentar te fazer reagir. Qualquer coisa, qualquer sinal de que tudo acabou, que não resta mais nada. Um sinal de que você está tendo o seu tempo, seja ele qual for, mas que em algum momento você vai voltar e dizer que sentiu minha falta, ou sei lá, qualquer coisa. Qualquer sinal agora seria bom.

Talvez eu devesse controlar melhor minhas emoções e não sair dizendo o que eu sinto. Eu sei que essas coisas assustam, tanto assusta que eu não consegui manter isso por muito tempo sozinha. Eu não sei quanto tempo esse silêncio irá durar. Também não sei se ele é permanente, mas enquanto isso, eu sigo, um dia por vez, no silêncio.

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *