O dia em que decretei falência emocional

falência emocional


Eu estou cansada de tanto tentar, de tanto sentir, de tanto amar e ninguém se importar. Esse negócio de sofrer por amor ainda vai me levar a falência emocional.

E não importa o que eu faço, nada vai ser suficiente para apagar de vez tudo o que eu quero esquecer. Ou para trazer pra perto o que eu desejo. Então a melhor coisa a se fazer é simplesmente não me importar.

Hoje é um daqueles dias que tudo o que eu  acredito não serve de nada. Todas as verdades a minha volta não fazem sentido algum e eu  tento achar algo para fazer que pareça certo. É o fazer por fazer, para tapar o buraco que insiste em se expor com mais frequência do que deveria.

Parece que hoje, independente do que eu faça, meu trabalho nunca vai ser bom o suficiente. Não importa quantas vezes eu faça a coisa certa nem as ideias positivas que eu dou. As pessoas só veem aquilo que lhes convém.

Por hoje eu cansei de só tentar, tem dias que tudo parece desandar e caminhar para qualquer direção, menos para o caminho que eu sigo, ou espero seguir. ⠀

 

Facebook Comments

2 thoughts on “O dia em que decretei falência emocional

  1. Amei tudo o que vc escreve. Sou uma pessoa que no momento estou passando por uma situação amargosa muito complicada e difícil,pois fui casada durante 20 anos e há seis meses meu marido foi embora morar com uma outra pessoa e estou sofrendo muito com tudo isso pois eu o amo muito, deveria está odiando ele por tudo o que ele me fez, mas não estou dilacerada sofrendo muito por amor a ele.
    E todas suas histórias tem um pouco de mim nelas. Muito obrigado pelas suas histórias que sem querer contam um pouco do que vivo.
    Muito obrigado… Sua leitora Lidiane Alves.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *